Perguntas Frequentes - Medidas COVID-19

Medidas Cofidis

A pensar em si, criámos esta área de “Perguntas Frequentes”, que se encontra em atualização à medida que a situação evolui.

Aproveitamos para informar que, face à atual conjuntura do País, e em alinhamento com as medidas implementadas pelo Governo e Direção-Geral da Saúde, a Cofidis decidiu implementar medidas de combate à propagação da COVID-19, de forma a garantir a proteção dos seus Colaboradores e Clientes.

Lembramos que pode consultar na sua Área de Cliente, em www.cofinet.pt, toda a informação relativa ao seu crédito.

Se ainda não tiver aderido pode fazê-lo de forma simples, rápida e gratuita, bastando para isso escolher a opção “Registe-se no Cofinet” e preencher os seus dados pessoais. Receberá a sua password de imediato no telemóvel.

Clientes Particulares
Ver Perguntas Frequentes
Empresas e ENI's
Ver Perguntas Frequentes

Perguntas Frequentes

Moratória para Clientes Particulares

Não. Mas procurando apoiar os seus clientes e famílias, a Cofidis está a acompanhar a situação que evolui diariamente, nomeadamente as medidas que são publicadas para o sistema financeiro, e estamos a trabalhar nas soluções que melhor se adequam a cada perfil de cliente.

Caso esteja numa situação concreta motivada pela conjuntura atual da COVID-19, envie a descrição da mesma por email para provedordocliente@cofidis.pt com o assunto “Covid19 + nº de contribuinte” ou “Covid19 + nº de dossier”, e aguarde uma resposta.

Moratória para Empresas e Empresários em Nome Individual

As Empresas e os Empresários em Nome Individual (ENI) que respeitem os requisitos previstos no Decreto-Lei n.º10-J/2020, de 26 de março de 2020, nomeadamente:

  • Tenham a situação regularizada junto da Autoridade Tributária e Aduaneira e da Segurança Social no final de fevereiro 2020;
  • Com sede ou que exerçam a sua atividade económica em Portugal;
  • Não estejam, considerando a data de 18 de março de 2020, em mora ou incumprimento de prestações/rendas há mais de 90 dias junto das instituições;
  • Não se encontrem em situação de insolvência, ou suspensão ou cessão de pagamentos, ou a Cofidis já tiver executado o contrato;

Significa que pode pedir a suspensão até 30.09.2020 do pagamento da totalidade das prestações/rendas.

Pode, em alternativa, solicitar a suspensão do pagamento apenas do capital, mantendo o pagamento dos juros e outros encargos, reduzindo assim o valor das prestações/rendas.

Para formalizar o seu pedido, deve enviar para a Cofidis:

  • a) a) O pedido em formato eletrónico (JPG, PNG ou PDF,) assinado para o e-mail covid19medidasempres@cofidis.pt, referindo se pretende a suspensão apenas dos reembolsos de capital ou da totalidade das prestações/rendas até 30.09.2020, ao abrigo do DL n.º 10-J/2020, de 26.03.2020;
  • i. Caso se trate de uma Empresa, o pedido tem de ser assinado pelos representantes legais;
  • ii. Caso seja Empresário em Nome Individual (ENI), o pedido tem de ser assinado pelo empresário.
  • b) Documentos comprovativos da situação regularizada junto da Autoridade Tributária e Aduaneira e da Segurança Social (a obter nos sites https://www.portaldasfinancas.gov.pt/ e http://www.seg-social.pt/).

Apenas os representantes legais da empresa, caso se trate de uma empresa, ou o empresário, caso seja Empresário em Nome Individual (ENI), mesmo que o contrato tenha outros titulares.

Quem assinar representa e responsabiliza-se por todos os titulares do contrato.

Os fiadores ou avalistas do contrato, caso existam, não necessitam de assinar o pedido.

Apenas os representantes legais da empresa, caso se trate de uma empresa, ou o empresário, caso seja Empresário em Nome Individual (ENI), mesmo que o contrato tenha outros titulares.

Quem assinar representa e responsabiliza-se por todos os titulares do contrato.

Os fiadores ou avalistas do contrato, caso existam, não necessitam de assinar o pedido.

A Cofidis tem 5 dias úteis para responder, caso o pedido seja aceite.

No caso de não reunir as condições estabelecidas pelo Governo para ser aceite, daremos resposta em 3 dias úteis.

Estes prazos contam a partir da data em que o pedido chegue completo à Cofidis, ou seja, pedido devidamente assinado e respetivos comprovativos.

A resposta será enviada pela Cofidis, por email.

Esta informação constará da resposta de aprovação ao seu pedido.

Não. A suspensão dos pagamentos não equivale a incumprimento ou atraso, a não ser quanto aos eventuais valores em atraso que existam na data de início da Moratória, os quais se manterão comunicados ao Banco de Portugal.

Em 30.09.2020 a suspensão termina.

As prestações/rendas voltarão a ser debitadas a partir de 01.10.2020, sendo o prazo do seu contrato prorrogado pelo mesmo tempo que durou a suspensão. Por exemplo, se as prestações/rendas ficarem suspensas por 6 meses, o prazo do contrato aumenta 6 meses, isto é, as prestações que não foram pagas no período da Moratória serão retomadas quando a moratória terminar.

As Instituições de Crédito poderão capitalizar os juros do período de suspensão no final da suspensão.